Paroquianos celebram aniversário do Pe. Marcos Queiroz

Paroquianos celebram aniversário do Pe. Marcos Queiroz

Por : Cintia Regina Carmin

Foi na missa das 19:30 horas que Pe. Marcos Queiroz comemorou os seus 43 anos. Ao iniciar a celebração, agradeceu a Deus por sua vida e pela vida de cada um dos presentes. Juntamente com Pe. Marcos estavam os concelebrantes Pe. Bolívar Hauck e Pe. Edgard Silva Júnior que em suas pessoas representavam os amigos sacerdortes, a província saletina, os líderes das pastorais do santuário, os seminaristas e a comunidade Nossa Senhora da Carmo, paróquia atendida pelos missionários saletinos, respectivamente.

Pe. Marcos ao agradecer pela vida, também agradeceu pela da vida de outros paroquianos que como ele aniversariavam no mesmo dia, e entre eles estava a paroquiana Rita Lombardi, da Equipe de Cozinha e festas do santuário.

"Estamos aqui nesta noite, nesta celebração para celebrarmos a vida, as alegrias e as tristezas, os problemas e as dificuldades, a saudade e a esperança. Toda eucaristia é uma ação de graças pela vida. É darmos conta de quem somos e da importância que Deus tem em nossa vida", afirmou.

Em sua partilha, Pe. Marcos fez uma bonita reflexão sobre a presença do número 7 em sua vida. "Logo pela manhã ao rezar pela minha vida conclui que a somatória dos numerais da minha idade davam 7". Para o sacerdote, o número 7 representa o momento da vida em ele tem que ir em busca do aperfeiçoamento. O número 3 representa que ainda há um caminho a percorrer, o encontro com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. E assim, foi lembrando das vezes em que celebrou o número 7. Relembrou os 7 anos de idade, a alegria da infância, a lembrança dos amigos . Depois, o número 7 se fez presente aos 16 anos. Idade da adolecência, dos estudos, as amizades. Neste tempo, ainda jovem Pe. Marcos teve forte participação no grupo de jovens, o "Pastoral de Juventude II" na paróquia do Sagrado Coração de Jesus, atendida pelos missionários de Nossa Senhora da Salette. Quando completou 25 anos já estava no seminário, na casa dos missionários saletinos, em preparação ao sacerdócio. Foi ai que saiu de Salvador, foi para a Bolivia, de lá veio para SP e depois foi para Goiás, onde ficou por um ano. Ao voltar, fez Teologia e se ordenou padre. Depois de ordenado, a outra data em que pode verificar o 7 presente foi aos 34 anos. Nesta época, segundo a retrospectiva do aniversariante, foi onde foram vividos os primeiros anos do sacerdócio em SP, depois a transferência para o Rio de Janeiro.

Agora os 43 anos volta novamente para o número 4. Número que marca o tempo em que está à frente do Santuário de São Paulo.

Em sua reflexão "matemática", Pe. Marcos disse aos participante da celebração que foi percebendo e agradecendo a presença de Deus em sua caminhada. A sua busca pessoal pela perfeição, pelo aperfeiçoamento. E ressaltou: "Nós não somos perfeitos. Eu também não sou perfeito, mas a minha busca é esta, a de encontrar a perfeição a cada dia". Ao lembrar do salmo do dia , que nos fala de Deus como pai; Deus como refúlgio, Deus como força que nos protege, Pe. Marcos disse que devemos sempre cantar eternamente louvores a Deus. "Desta forma, hoje quero com vocês, por vocês agradecer o amor de Deus que nos acompanha hoje e sempre" ,agradeceu Pe. Marcos.

Antes da bênção final, Pe. Marcos foi homenageado pelo grupo de cantos com uma bela canção e nos lembrou que não devemos desperdiçar nenhum momento da vida, quanto mais um dia. E agradecendo a Deus, o dom da vida, entou o refrão da música de Gonzaguinha "Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz".

Ao final da celebração, o sacerdote convidou a todos para cantar os parabéns e saborear um pedaço de bolo.

 

 

Galerias de fotos