Missa da Quarta-feira de Cinzas

Missa da Quarta-feira de Cinzas

Por : Cintia Regina Carmin

Na quarta-feria de Cinzas, o Santuário Salette/SP realizou durante o dia três celebrações. A primeira,logo pela manhã, às 7:00 horas da manhã, uma à tarde às 15:00 horas a última missa realizada às 19:30 horas e que foi presidida pelo Reitor e Pároco do Santuário, Pe. Marcos Queiroz.

Como acontece todos os anos, com a Missa das Cinzas, deu-se a abertura da Campanha da Fraternidade Ecumênica, cujo tema é: "Casa comum, nossa responsabilidade" e lema: "Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca" (Am, 5,24).

Pe. Marcos Queiroz, em sua homília, inciou lembrando que a palavra "quaresma", lembra quarentena; os 40 anos do povo de Deus no Antigo Testamento; os 40 dias de Jesus em oração no Novo Testamento; lembra-nos os 40 dias que antecedem à Semana Santa. 

Para que possamos ter uma boa quaresma, em preparação à semana Santa, o Evangelho nos apresenta três caminhos que nos ajudam à conversão e que devemos seguir, mas que às vezes deixamos de lado. O primeiro caminho é o valor do JEJUM. Hoje em dia parece que caiu de moda. O jejum é uma prática não só da igreja católica apóstolica romana, muitas igrejas o fazem. Estamos deixando de lado esta prática, porque não estamos querendo fazer sacrifícios. "Não queremos nos sacrificar por nada, nem por ninguém", afirmou o reitor do Santuário. Muitas vezes fazemos o que os outros nos propõem, mas quando a igreja nos pede para fazermos algo para crescemos no caminho espiritual, pois é este o objetivo do jejum, mas achamos que é sacrificio. O jejum não é só deixar de comer alguma coisa de que gostamos. É fazermos um caminho espiritual. O Jejum pode ser de não xingar; de não falar mal das pessoas.

O segundo caminho é o da oração. No Jubileu da Misericórdia, não podemos esquecer neste tempo de quaresma, de conversão, da prática da oração. Uma das obras de misericória é a oração dos fieis defuntos, por alguém que precisa. Infelizmente pelo cansaço do dia a dia, somos levados a esquecer de rezar. "Retomem a prática da oração", ressaltou Pe. Marcos.

Terceiro caminho é a penitência, ou a caridade que é outra obra de misericória. A caridade é obra própria da quaresma, da igreja. Quaresma é tempo de encher o coração. E para isso, a igreja nos dá a Campanha da Fraternidade, que com o seu tema, leva-nos a uma proposta de reflexão. Neste ano, somos chamados a refletir sobre o cuidado que temos com as coisas que Deus criou e a nossa responsabilidade. A campanha nos aponta situações em que a sociedade precisa ser mais caridosa, vivenciando mais o amor.  "Que este tempo da quaresma seja o tempo favorável para, como diz o hino da Campanha da Fraternidade, sanearmos o nosso coração com obras de caridade; oração e jejum.

Texto e fotos: Cintia Regina Carmin

 

 

Galerias de fotos